| 4 dezembro, 2019 - 10:05

Petrobras demite engenheiro por pegar cápsula de café, mas Justiça readmite e obriga indenização de R$ 200 mil

 

Mas a Justiça do Trabalho considerou ilegal a demissão por justa causa, e a empresa vai ter de recontratar o funcionário, além de pagar R$ 200 mil a el

Um engenheiro com mais de dez anos de casa foi demitido por justa causa pela Petrobras Transportes S.A. (Transpetro) sob acusação de ter furtado cápsulas de café. Mas a Justiça do Trabalho considerou ilegal a demissão por justa causa, e a empresa vai ter de recontratar o funcionário, além de pagar R$ 200 mil a ele. Ainda cabe recurso.

Foto: Ilustraiva

Ele teria furtado as cápsulas de café expresso durante um treinamento da empresa. Entre os dias 16 e 19 de abril de 2018, ele participou de evento corporativo realizado na sede de uma cliente da Transpetro. Segundo o relato do engenheiro, no intervalo do workshop, ele tomou um café expresso. Como gostou do sabor, guardou “duas ou três” para consumir depois em máquinas que estavam espalhadas pela sede do evento. O número exato de cápsulas que ele pegou não foi informado.

A Transpetro demitiu o funcionário por justa causa em maio de 2018, alegando que a conduta dele no workshop foi inadequada. Na última quinta-feira (28), o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região determinou a reintegração do funcionário e o pagamento retroativo de todos os salários desde a demissão. A Transpetro terá de pagar cerca de R$ 200 mil ao engenheiro, mais R$ 4.000 de custas processuais. Procurada, a empresa afirmou que não comenta processos judiciais em andamento.

UOL


Leia também no Justiça Potiguar

Comente esta postagem:

Justiça Potiguar