order ultram 50mg online with prescription buy cheap zolpidem 10mg online legally buy generic lorazepam with mastercard klonopin 1mg prescription writing cheapest generic zolpiem in japan cheapest generic carisoprodol 350mg in mexico
 | 2 dezembro, 2019 - 12:08

Procurador de MG que chamou salário de R$ 24 mil de ‘miserê’, recebeu R$ 124 mil nos dois meses seguintes

 

O valor a mais veio por conta de indenizações e remunerações retroativas. Azeredo tirou licença médica em setembro, retornando no dia 7 de novembro.

O procurador de Justiça do Ministério Público de Minas Gerais Leonardo Azeredo dos Santos, que se se envolveu em uma polêmica ao julgar como ‘miserê‘ seu salário de R$ 24 mil, recebeu bem mais do que isso em agosto e setembro. Ele foi beneficiado com R$ 124 mil nos dois meses.

Reprodução

O valor a mais veio por conta de indenizações e remunerações retroativas. Azeredo tirou licença médica em setembro, retornando no dia 7 de novembro. 

Em agosto, o procurador recebeu um salário de R$ 35.462,22. Porém, com as indenizações, o provento foi a R$ 76.794,29.

Em setembro, o holerite, com os complementos, foi a R$ 47.235,56. Somados os dois meses, Azeredo recebeu R$ 124.029,85.

Relembre a polêmica

Durante uma sessão da Câmara de Procuradores do Ministério Público de Minas Gerais em agosto, o procurador Leonardo Azeredo dos Santos deu uma declaração inusitada. Enquanto discutiam o orçamento proposto para 2020, ele disse: “O senhor me desculpe o desabafo, eu estou fazendo a minha parte. Eu estou deixando de gastar R$ 20 mil de cartão de crédito e estou passando a gastar R$ 8 [mil], para poder viver com os meus R$ 24 mil”.

“Como é que o cara vai viver com R$ 24 mil? O que é que de fato vamos fazer para melhorar a nossa remuneração? Eu, de qualquer forma, já estou baixando meu padrão de vida bruscamente.”

O procurador seguiu desabafando. “Eu quero saber se nós, ano que vem, vamos continuar nessa situação, ou se Vossa Excelência já planeja alguma coisa dentro da sua criatividade para melhorar a nossa situação, ou se nós vamos ficar nesse miserê aí, ainda sob ameaça de não termos aumento“, questionou, à época.

Por meio de nota, o MPMG classificou a manifestação do procurador como sendo de “cunho pessoal”. 

As informações sobre o salário do procurador foram obtidas no Portal Transparência do Ministério Público de Minas.


Leia também no Justiça Potiguar


Sitemap