buy drug alprazolam 1.5mg in florida purchase Meridia 10mg tablets online uk buy drug clonazepam 1mg with american express cheap ativan 2mg online no prescription where to buy phentermine online with paypal
 | 11 janeiro, 2021 - 10:00

Nova coordenação dos Juizados Especiais destaca as principais metas para 2021

 

A juíza Sulamita Pacheco, que assume a coordenação dos Juizados Especiais, destaca as principais metas e expectativas para o biênio 2021-2020, com algumas sendo programadas para acontecer nos próximos meses nas unidades do órgão. A designação se deu por meio da Portaria nº 53, publicada pela Presidência do TJRN, que também nomeou o desembargador Expedito


A juíza Sulamita Pacheco, que assume a coordenação dos Juizados Especiais, destaca as principais metas e expectativas para o biênio 2021-2020, com algumas sendo programadas para acontecer nos próximos meses nas unidades do órgão. A designação se deu por meio da Portaria nº 53, publicada pela Presidência do TJRN, que também nomeou o desembargador Expedito Ferreira, como – coordenador presidente do Sistema dos Juizados Especiais, bem como o juiz João Eduardo Ribeiro (Juizado Especial da Fazenda Pública, Coordenador 2º Secretário) e as juízas Welma Maria Menezes e Sandra Dantas Elali, para o Juizado Especial Criminal, Coordenador 3º Secretário e magistrada integrante da Turma Recursal, respectivamente.

Para a magistrada Sulamita Pacheco, que na condição de 1ª Secretária administrará as unidades dos Juizados Especiais do Estado sem prejuízo das atividades judicantes, existe uma preocupação comum com o que ela definiu como o “novo momento” do Judiciário estadual, diante das mudanças nas práticas e rotinas administrativas trazidas pela pandemia e as medidas de isolamento social, com a consequente ampliação de tecnologias de trabalho remoto.

“Os juizados demonstraram que já estavam preparados, já que trabalhamos completamente digitalizados”, avalia a magistrada, que completa: “Mas, temos muito a melhorar”.

Dentre as melhorias, Sulamita Pacheco destaca a necessidade de sanar as dúvidas que ainda existem no que se relaciona às audiências remotas. Dúvidas essas que atingem tanto os membros dos juizados, quanto ao próprio jurisdicionado. “Por exemplo: como suprir a tecnologia para a população que não tem computadores ou acesso à tecnologia”, destaca a 1a Secretária, ao apontar que a criação de salas digitais nos fóruns é uma das medidas para enfrentar tal realidade.

“Pretendemos que estejam funcionando, pouco a pouco, a partir de fevereiro”, antecipa a magistrada Sulamita Pacheco, ao destacar que a ampliação de turmas recursais também pode ampliar a qualidade na prestação jurisdicional, bem como a “consciência” de que o trabalho remoto não é uma opção temporária.

“É preciso entender que a tendência é essa. Que existam mais e mais varas remotas”, conclui a juíza.


Leia também no Justiça Potiguar

Comente esta postagem:


Sitemap