cheapest generic zolpidem 10mg mastercard clonazepam 2mg online pharmacy europe want to buy soma in singapore ativan 1mg prescription free order meridia overnight What is clonazepam 0.5 alprazolam 1.5mg prescription cost without insurance
 | 24 agosto, 2019 - 10:15

“Devemos ao Lula um julgamento justo”, diz Gilmar Mendes

 

Ministro do STF afirma ainda que a condenação do ex-presidente pode ser anulada

JUSTIÇA FEDERAL, NATAL/RN, 16.08.2019 – QUINTA JURÍDICA, MINISTRO GILMAR MENDES NA JUSTIÇA FEDERAL/RN – Nesta sexta-feira, a Justiça Federal no Rio Grande do Norte promoveu uma edição especial da Quinta Jurídica, comemorativa aos 15 anos do projeto, com a presença do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes. A palestra com o tema “Interpretação Constitucional e Ativismo Judicial” foi realizada no auditório da JFRN com a presença dos magistrados dessa corte no Estado. . JUSTIÇA, JFRN, CIDADANIA, NATAL, RIO GRANDE DO NORTE – FOTO: VITORINO JUNIOR/PHOTOPRESS/

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse, em entrevista exclusiva à agência Reuters, que a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no caso do triplex do Guarujá, pode ser anulada, caso seja constatada a suspeição do então juiz Sergio Moro.  O ministro ressaltou também que o petista merece um julgamento justo.

— Anular a condenação (do Lula) se eventualmente ocorrer por questão de suspeição, isso leva a um novo processo. Eventualmente isso pode ocorrer. — É importante fazer essa análise com todo o desprendimento. A mídia se tornou num determinado momento muito opressiva. O bom resultado não é só aquele que condena. Isso não é correto. A gente tem que reconhecer que devemos ao Lula um julgamento justo — ressaltou.

Em junho, um dia depois do vazamento das conversas entre Sergio Moro e Deltan Dallagnol pelo site The Intercept BrasilGilmar Mendes liberou para julgamento um habeas corpus pedido pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em dezembro de 2018. O ministro defendeu que o ex-presidente aguardasse em liberdade o julgamento. 

Lula foi condenado por  Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Bolsonaro, a nove anos e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex, em Guarujá (SP). A defesa recorreu e os juízes do Tribunal Regional Federal da 4ª Região ( TRF4) aumentaram a pena para 12 anos e um mês.

Em abril, os ministros da Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiram pela redução da pena do petista para oito anos e 10 meses de prisão. A Procuradoria já deu parecer favorável para que Lula cumpra o restante da pena em regime semiaberto.

UOL


Leia também no Justiça Potiguar

Comente esta postagem:


Sitemap