| 1 agosto, 2019 - 11:55

Mais de 100 alunos de Medicina da UnP vão entrar na Justiça contra a redução de mais de duas mil horas-aulas na grade curricular

 

Francisco Marcos de Araújo, advogado autor da ação, destaca que a UnP cancelou convênios de estágios, demitiu professores experientes e diminuiu número de aulas nos laborátórios

Foto: Reprodução Internet (da Construtora Plana)

Mais de 100 alunos do curso de Medicina da Universidade Potiguar (UnP) se uniram com a finalidade de ingressar com uma ação, na Justiça, contra o corte de mais de um terço grade curricular. Os alunos, que pagam uma mensalidade no valor de R$ 7.463,73, também vêm sendo penalizados por outras duas decisões da UnP: a substituição de professores mais experientes por mais jovens, e principalmente pelo cancelamento de convênios para estágio, com destaque para o Hospital Infantil Varela Santiago.

De acordo com Francisco Marcos de Araújo, do escritório Araújo, Soares, Barreto e Abreu, sociedade de advogados, a postura de UnP tem gerado revolta nos estudantes de medicina. Ele cita que o objetivo da ação é manter a grade curricular, mas deixa claro que se a Justiça entender que a universidade tem autonomia para reduzir – em um terço – o número de horas-aulas, que neste chegam a duas mil horas a menos, os alunos vão pedir a redução no valor da mensalidade.

Na avaliação de Francisco Marcos de Araújo, a finalidade da UnP é priorizar a formação humana, ao invés de transforma-se em uma empresa com o único objetivo de gerar lucro. “É um absurdo! Suspenderam convênios de estágios e vamos pleitear a volta de todos eles, porque os alunos precisam praticar o que aprenderam na teoria. A UnP precisa cumprir o que diz na propaganda, que é a formação por excelência, e não ficar tomando medidas com o objetivo apenas de conter despesas”, destacou Araújo.       


Leia também no Justiça Potiguar

2 Comentários
  1. Mais de 100 alunos de Medicina da UnP vão entrar na Justiça contra a redução de mais de duas mil horas-aulas na grade curricular, destaca portal | Blog do BG

    01/08/2019 às 12:30

    […] Mais de 100 alunos do curso de Medicina da Universidade Potiguar (UnP) se uniram com a finalidade de ingressar com uma ação, na Justiça, contra o corte de mais de um terço grade curricular. Os alunos, que pagam uma mensalidade no valor de R$ 7.463,73, também vêm sendo penalizados por outras duas decisões da UnP: a substituição de professores mais experientes por mais jovens, e principalmente pelo cancelamento de convênios para estágio, com destaque para o Hospital Infantil Varela Santiago. Todos os detalhes você confere no Justiça Potiguar clicando aqui […]

    Responder
  2. Cabo Silva

    01/08/2019 às 14:21

    Como é que existe advogado pra defender desses argumentos???

    Responder

Comente esta postagem:

Justiça Potiguar