| 3 março, 2022 - 09:21

Justiça condena três homens por roubo de ovelhas de fazenda de Pedro Avelino

 

A Comarca de Lajes condenou três homens acusados de roubarem 11 ovelhas de uma fazenda localizada na Zona Rural de Pedro Avelino, na Região Central Potiguar, em abril de 2016. As penas fixadas pela Justiça variam de dois a cinco anos de reclusão e multa para cada um dos réus. De acordo com a denúncia

A Comarca de Lajes condenou três homens acusados de roubarem 11 ovelhas de uma fazenda localizada na Zona Rural de Pedro Avelino, na Região Central Potiguar, em abril de 2016. As penas fixadas pela Justiça variam de dois a cinco anos de reclusão e multa para cada um dos réus.

Reprodução


De acordo com a denúncia do Ministério Público, no dia 16 de abril de 2016, por volta das 02 horas da madrugada, os acusados roubaram onze animais ovinos da Fazenda São Geraldo, localizada na comunidade dos Corgos, Zona Rural de Pedro Avelino.


Segundo o apurado a respeito do fato, na madrugada do dia 16 de abril de 2016, os acusados transitavam em um veículo Ford/Pampa com onze ovelhas na carroceria, ocasião na qual apresentavam atitude suspeita e, ao serem abordados por militares, tentaram fugir pelo mato, mas foram detidos e autuados em flagrante delito.


Ainda segundo a denúncia, um dos acusados conseguiu se evadir do local, mas foi encontrado instantes depois na estrada para Galinhos pelos policiais e conduzido para delegacia.


Na delegacia, ele confessou a prática do crime e o gerente da fazenda informou que um funcionário havia noticiado a falta de 11 ovelhas da propriedade. Segundo o inquérito policial, dez animais foram devolvidos ao gerente do imóvel, pois uma ovelha morreu em virtude de maus tratos por parte dos acusados.


Para a Justiça, a materialidade e a autoria do delito ficaram fartamente demonstradas pela prova dos autos, de forma a inexistir qualquer dúvida acerca da prática, pelos acusados, das condutas delituosas narradas na denúncia.


Foi observado, para a condenação, o depoimento em juízo do empregado da fazenda, quando informou que foram devolvidos dez animais, tendo um morrido. Também foi levada em consideração a confissão da autoria delitiva pelos acusados, tendo um deles relatado ter vindo de Natal em companhia de um parceiro e encontrado-se com terceiro acusado. Eles informaram que foram subtraídos onze animais, os quais seriam vendidos por, em torno, de R$ 500,00, cada.


“Na hipótese dos autos em que a ação dos denunciados se deu às 2h da madrugada, não restam dúvidas quanto a sua incidência. Assim, pela prova dos autos a materialidade e a autoria do delito restaram fartamente demonstradas, de forma a inexistir qualquer dúvida acerca da prática, pelos acusados, da conduta delituosa narrada na denúncia”, assinalou.


(Processo nº 0100147-32.2016.8.20.0134)


Leia também no Justiça Potiguar

Comente esta postagem: