purchase generic diazepam in the uk online cheapest generic Meridia 10mg no prescription buy alprazolam philadelphia
 | 18 dezembro, 2019 - 14:39

Advogado relata ameaças e abusos em caso de empreendimento em Pipa

 

Além da Delegacia de Pipa, o caso está sendo acompanhado pela Comissão de Defesa das Prerrogativas da OAB

Ilustrativa

A posse de um empreendimento localizado na Praia de Pipa virou caso de ameaças e abusos de um homem identificado como policial militar, Alex Santos Garcia, contra o advogado  Kennedy Diógenes no exercício das suas funções que reportou o caso ao Justiça Potiguar. 

Segundo o advogado Kennedy Diógenes, que representa a empresa Plano Leste e tem a posse jurídica do empreendimento em questão, o fato ocorreu quando o empreendimento era gerido por Victor Eduardo Saraiva, que tinha a cessão do terreno em contrato de cessionário com a Plano Leste, mas deixou a administração do empreendimento. Logo após uma reclamação trabalhista de um funcionário que não teria recebido valores de Victor Eduardo, levou o imóvel para leilão na Justiça do Trabalho, sendo arrematado pelo policial militar, Alex Santos Garcia.

Porém, decisão da 9ª Vara do Trabalho anulou a arrematação e devolveu a posse a Plano Leste. A partir de então, o caso deixou a esfera judicial e partiu para ameaças graves.

Segundo informações colhidas pelo Justiça Potiguar, na última terça, 17, Alex Santos teria ido armado e com mais duas pessoas ao empreendimento tendo feito ameaças e tortura psicológica ao caseiro que estava no empreendimento apontando a arma várias vezes.

Quando Kennedy ligou para o caseiro, o policial tomou o telefone e chegou a fazer ameaças contra o advogado e um funcionário da empreiteira que foram gravadas.

“Aqui quem está falando é o proprietário do terreno, aqui é na base da bala com ele (referindo-se a Brenno, empreiteiro contratado pela Plano Leste que reformou o empreendimento); aqui ele (Brenno Araújo) não entra mais não, aqui quem fala é Alex Garcia que a partir do dia de hoje (17/12/2019) moro aqui dentro que se Brenno aparecer aqui na frente eu mato ele aqui na frente, estou no imóvel. O imóvel é meu”; 

Em outra ligação, devidamente gravada e anexada as autos, Kennedy Diógenes tornou a ligar para o telefone do caseiro do empreendimento de propriedade da autora E que fora esbulhado, tendo dessa vez falado com o referido “Oficial de Justiça”, autodenominado “Geomar Gonçalves”, o qual, uma vez inquirido acerca da Situação sob discussão, assim respondeu que “meu nome é Geomar. Geomar Gonçalves, a Decisão que está em mãos é para a desocupação do imóvel, que é uma Decisão do Tribunal do Trabalho, do TRT.

Na ocasião, o suposto “Oficial de Justiça” além de aparentar não exercer tal ofício, não soube sequer apontar de qual Juízo teria partido a ordem para a desocupação do imóvel em questão, o número do processo do qual adveio tal decisão.

Alex Garcia ainda ligou para o advogado que disse para este que estava esperando ele, o advogado, e Brenno lá no empreendimento e que mataria quem “invadisse” o imóvel, conforme comprovam os áudios, ameaçando o advogado e Brenno, tendo sido já comunicada a Delegacia de Polícia na Praia de Pipa.

Além da Delegacia de Pipa, o caso está sendo acompanhado pela Comissão de Defesa das Prerrogativas da OAB, pelo presidente Thiago Cortez, além de ter sido aberta representação na Polícia Federal, visto que o policial envolvido tem porte de arma e é instrutor de tiro. O Justiça Potiguar continuará acompanhando o caso.


Leia também no Justiça Potiguar

1 Comentários
  1. Advogado relata ameaças e abusos em caso de empreendimento em Pipa, destaca Justiça Potiguar | Blog do BG

    18/12/2019 às 15:00

    […] de então, o caso deixou a esfera judicial e partiu para ameaças graves. Confira matéria completa aqui no Justiça […]

    Responder

Comente esta postagem:


Sitemap