| 1 dezembro, 2019 - 07:00

Para PGR, Bolsonaro não obstruiu Justiça ao acessar áudios de portaria

 

O procurador-geral da República, Augusto Aras, se posicionou contra a abertura de inquérito

O procurador-geral da República, Augusto Aras, se posicionou contra a abertura de inquérito no Supremo Tribunal Federal para apurar se o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o vereador carioca Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) cometeram crime de obstrução de Justiça no âmbito das investigações sobre a morte da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista, Anderson Gomes.

O pedido de investigação partiu da Associação Brasileira de Imprensa, após Bolsonaro ter dito publicamente que obteve gravações de chamadas feitas no dia da morte de Marielle entre a portaria e as casas do condomínio Vivendas da Barra – onde mantém residência no Rio de Janeiro – antes que elas tivessem sido “adulteradas”.

UOL

Foto: Reprodução

Leia também no Justiça Potiguar

Comente esta postagem:

Justiça Potiguar